Esculturas Entalhadas em Cascas de Árvores















































O Espaço Cultural Frans Krajcberg foi inaugurado em outubro de 2003, para abrigar 115 esculturas de grande porte e relevos entalhados em cascas de árvores, além de algumas fotografias, doadas pelo artista ao município.
As obras estão subdivididas em grupos e classificadas conforme as características do material: palmas, árvores para cima, cipós, grandes volumes, mangue, queimadas, bolas, palitos e cascas.
Krajcberg retira da natureza a matéria-prima para as suas criações, sempre no sentido de despertar a indignação contra as ações devastadoras do homem. Os troncos de madeira queimada, retirados diretamente dos locais onde a depredação se fez presente, são os que mais identificam a sua obra, embora a preocupação com o meio ambiente tenha permeado toda a sua trajetória artística.
Frans Krajcberg nasceu em abril de 1921 na cidade de Kozienice, Polônia. Filho de uma família de comerciantes judeus desaparecida em 1945 no holocausto, veio para o Brasil em 1948 e naturalizou-se brasileiro em 1954. Foi ainda na Europa, durante a II Guerra Mundial, que começou a pintar e a se interessar pela arte. Chegando ao Brasil, passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo e se fixou no interior do Paraná, o que foi decisivo para os rumos que sua arte tomou a partir de então.

O Espaço Frans Krajcberg de Curitiba é o único local no mundo projetado especialmente para abrigar um conjunto de obras de Krajcberg, em exposição permanente. Este privilégio será compartilhado, em breve, por somente mais duas cidades, Paris e Nova Viçosa.
Essas fotos eu tirei numa visita ao Espaço Cultural e posso garantir que valeu a pena.
Então pessoal quando forem a Curitiba , não deixem de visitar o Jardim Botânico e tb as obras acima que são maravilhosas .




10 comentários:

Ozenilda Amorim postou o comentário número:

Lindas as sculturas, tão diferente de tudo o que eu já vi. Que legal que existe um lugar especial para ficarem onde as pessoas possam admirar a belza delas.
;)

Licsk postou o comentário número:

Leila...me perdoe, mas só ontem acessei meu blog e vi suas mensagens...gostaria muito de ter votado em você!!!! Da próxima pode contar comigo, tá???
Um beijo grande

Sutana postou o comentário número:

Lindo nas fotos, imagino pessoalmente.....bjusss

Isabel Cristina postou o comentário número:

OI Leila, lindas e criativas estas esculturas. Muito obrigada pela ajuda com a divisória, suas idéias são muito bem vindas sim. Algumas pessoas estão me sugerindo não colocar nada ,deixar o ambiente aberto para integração. E já estou com dúvidas mesmo se devo limitar. Se eu colocar a porta vai limitar bastante, uma cortina seria mais viável, seria uma forma de decorar aquele vão, já que gosto de decoraçõeszinhas pela casa e estou achando aquele vão muito vazio, e ela poderia ficar aberta ou fechada, a meu gosto. A questão é que logo depois da sala de tv tem os quartos, e quando recebemos em casa, ficamos sem privacidade nos quartos, as pessoas vão entrando, guardando bolsas, e isto me incomoda um pouquinho, acho que quarto da gente deve ser bem privativo. Na verdade ,tem uma outra porta que dá para um corredozinho (bem minúsculo) que dá acesso aos quartos. De repente eu poderia limitar a passagem aí... essa troca de idéias é muito boa, faz a gente ver várias possibilidade. Beijos e desculpa se a mensagem ficou longa.

Eliana postou o comentário número:

Eu conheço e achei super interessante, um trabalho muito legal.Blkas.

PATRÍCIA postou o comentário número:

Linda esculturas....
Tb sou apaixonada por suculentas e cactos... Exigem poucos cuidados e estão sempre bonitas... São lindas as suas....
Bjos

EVELIZE SALGADO postou o comentário número:

Já visitei esse espaço,realmente vale a pena conferir.
Leila, quando estava escrevendo meu post de ontem, lembrei muito de ti.Embora não fale só de suculentas, achei muito legal a energia das plantas interagir com as mulheres.
bjinhossssssss

Related Posts with Thumbnails
Coisas da Bruxinha © Copyright 2012. Desenvolvido por Elaine Gaspareto